SEJA BEM VINDO

sexta-feira, 29 de novembro de 2013

Defender a vida, antes mesmo de ela existir

Texto de Ronaldo e Tatiana de Melo, Assessores da Pastoral Familiar da Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro (RJ)


É interessante notar que, quando se fala em defesa da vida, a primeira questão que normalmente nos vem à mente é, sem dúvida, o aborto. Em segundo lugar, você provavelmente pensaria na eutanásia. Talvez se lembrasse também de formas bem concretas que ameaçam a vida como a drogadição, a violência ou a miséria. Defender a vida em todas estas instâncias, defender, em última análise, a nossa própria espécie humana é tarefa indiscutível, não só para nós, cristãos, mas para qualquer ser humano.

Mas você já parou pra pensar que quem é a favor da vida pra valer é capaz de amá-la e defendê-la antes mesmo dela existir?! Isso nos traz para um ponto fundamental nas nossas reflexões sobre este tema: a contracepção. Muitos casais simplesmente não entendem porque a Igreja insiste em ir “contra a corrente” da sociedade moderna. Acham que não há outra opção. Será? Se você soubesse que existe um meio moralmente legítimo de regular os nascimentos que é promovido pela Igreja, 99% eficaz, com custo zero ou quase zero e que não tem nenhum efeito colateral, você consideraria a possibilidade de conhecer mais sobre o assunto?

O Planejamento Natural da Família (PNF) observa e interpreta os indicadores de fertilidade ou infertilidade que o corpo da mulher dá. Muitos ainda acham que estamos falando da antiga tabelinha, mas não se trata disso. A ciência médica moderna descobriu que sinais como a temperatura, a posição do cérvix ou a produção de muco cervical, usados por si mesmos ou em combinação, ajudam o casal a perceber o período da ovulação. Esse conhecimento permite que o casal decida junto se usará este momento para alcançar a gravidez ou se optará pela abstinência neste período para adiar a gravidez.

A abstinência sexual é algo perfeitamente normal no relacionamento do casal: por causa do cônjuge que precisa fazer uma viagem, por motivo de doença ou cansaço. Seguindo este mesmo princípio, a abstinência no período fértil para os casais que precisam regular o número de filhos pode significar um grande gesto de amor. Ajuda o casal a descobrir que há outras formas de expressar amor que não só através do ato sexual e a banir o egoísmo, que é o maior inimigo do amor.

E é exatamente por causa do egoísmo, do individualismo, da busca pelo prazer acima de tudo que o mundo moderno não entende o propósito do Criador ao criar o sexo. O homem e a mulher foram criados à imagem e semelhança de Deus, que é amor, e que programou nossos corpos para expressarem o amor. Por isso, a Igreja ensina que o ato sexual reflete o amor perfeito e a comunhão eterna da Trindade. O Pai é fecundo, nos criou como filhos, por amor. O Filho entregou-nos seu corpo na Cruz para nos trazer vida nova. E lembre-se de que no Credo Niceno-Constantinopolitano professamos nossa fé: “Creio no Espírito Santo, Senhor que dá a vida”.

Se o nosso corpo foi criado para falar a linguagem com amor, para refletir a própria Trindade, em cuja imagem fomos criados, onde entra a contracepção? Como os casais podem estar abertos à vida se rejeitam sua fertilidade e se esterilizam voluntariamente por meio de barreiras químicas ou físicas?

Mesmo quem conhece um pouco o assunto pode tentar se esquivar alegando: “Afinal, qual é a diferença entre contracepção e planejamento natural da família se ambos servem para evitar a gravidez?”

Um dos distintivos de quem é realmente católico é aceitar e professar tudo o que a Igreja acredita e professa. Esta é uma opção dramática e decisiva que muda toda uma vida. Este também é o grande distintivo entre o catolicismo e a cultura popular. Enquanto a sociedade diz que a contracepção é a atitude mais responsável a se tomar para o bem das próprias famílias e o futuro da sociedade, a Igreja se levanta como “a voz que clama no deserto”, dizendo que esta é uma atitude sempre errada e altamente destrutiva para as famílias e a sociedade.

Se um casal está determinado a manter-se fiel à doação total de si, sendo o sexo a renovação das promessas assumidas no dia do matrimônio, uma das exigências é a abertura à vida.

A mulher só é fértil alguns dias dentro do mês. É errado que o casal que têm justos motivos para adiar a gravidez mantenha relações sexuais quando a mulher não está em seu período fértil? Claro que não. A ausência da gravidez seria uma expressão da vontade de Deus, e não um resultado da escolha do casal que optou, por sua própria conta, usar meios para se esterilizar.

Este é o princípio do Planejamento Natural da Família. Isso é defender a vida, antes mesmo de ela existir!

Artistas católicos farão adoração ao Santíssimo na sexta-feira

Por: Teresa Fernandes - teresafernandes@testemunhodefe.com.br


Para exaltar o belo, que é Deus, artistas católicos se reunirão mensalmente para um momento de louvor e oração no Santuário de Adoração Perpétua, a Igreja de Sant´Ana. A adoração deverá acontecer na última sexta-feira de cada mês, começando nesta sexta, dia 29 de novembro, a partir das 19h. A expectativa é reunir pelo menos 300 músicos, cantores, atores e dançarinos católicos já no primeiro encontro.

De acordo com Martins, a idéia surgiu há cerca de dois anos, mas foi depois da Jornada que os artistas decidiram concretizá-la. “A Jornada é o início de muita coisa boa que ainda está por vir para a arte do Rio de Janeiro”, disse.

A arte tem o poder de levar à oração e, por isso, a ideia de reunir os artistas católicos para estarem na presença de Deus, de acordo com Cristiano Martins, baixista da banda Canto Novo e coordenador arquidiocesano do ministério de música e artes da renovação carismática.

"A arte tem o poder de mexer não só com o visual, mas com o que está dentro de você. Uma música bem tocada, uma melodia bonita, um momento de diálogo em uma peça que é profunda, mexe com o seu íntimo. Ela tem essa capacidade de fazer com que as pessoas mudem por dentro, que não fique só no visual", ressaltou Cristiano Martins.

Papa Francisco

A presença do Papa Francisco e a própria Jornada também deram uma nova experiência aos artistas no Rio de Janeiro, segundo Martins. "O Papa, cada coisa que ele fala, cada pronunciamento que ele faz, vem mudando o coração do povo e principalmente do músico. Somos muito ligados à arte e a arte sempre fala ao coração. O Papa fala para o coração com o gesto, o abraço, o carinho, demonstra o quanto Deus ama cada um de nós. E isso tem mexido com a música do Rio e com o coração dos músicos”.

Ele explicou que na Feijoada da Música Católica, vários músicos partilharam acerca da necessidade de continuar um trabalho que já tinha sido começado com a Jornada, as vigílias de adoração. "Por que não fazer um momento voltado para a arte? Onde a arte do Rio pudesse estar na presença de Deus", questionou.

sábado, 23 de novembro de 2013

CELEBRAÇÃO DA UNIDADE NA CATEDRAL

Por: Claudia Brito - Jornal O Testemunho de fé


Com união e alegria, a Arquidiocese do Rio celebrou Cristo, Rei do Universo, na tarde deste sábado, dia 23, na Catedral de São Sebastião. A ideia da Festa da Unidade Arquidiocesana, que surgiu no coração do arcebispo Dom Orani João Tempesta, foi plenamente acolhida pelos mais de seis mil fiéis que, vindos de todos os vicariatos, lotaram a igreja.
"É muito bom estar aqui e celebrarmos juntos a nossa fé. No final do Ano Litúrgico, nós proclamados que Cristo é Rei. Quanto mais Cristo reinar nos corações, melhor será o mundo. Devemos ser fermento no meio da massa, demontrar o reinado de Cristo, vivendo o perdão e a reconciliação. Devemos viver a unidade e a fraternidade, mesmo em meio às diversidades. Peço a Deus que possamos nos olhar como irmãos e que ‘todos sejam um, para que o mundo creia' ", incentivou Dom Orani, que presidiu a missa concelebrada pelos bispos auxiliares.
Após a homilia, as velas foram acesas e a Igreja iluminada proclamou a fé, renovando as promessas do Santo Batismo. Erguendo as chamas, o povo de Deus também fez suas preces e assumiu o compromisso de viver a paz e a unidade.


A celebração, que encerrou o Ano da Fé no Rio, também marcou o dia do cristão leigo e o início do Ano da Caridade Social, na arquidiocese, como estabelecido no 11º Plano de Pastoral de Conjunto.

Fotos: Gustavo Oliveira

segunda-feira, 18 de novembro de 2013

Que todos sejam um!

Na próxima semana, com a Solenidade de Jesus Cristo, Rei do Universo, fechando com alegria o ano litúrgico, iremos celebrar a Primeira Festa da Unidade Arquidiocesana do Rio de Janeiro. A partir das 13h30min, na Catedral Metropolitana de São Sebastião, na Avenida Chile, no centro do Rio de Janeiro, espero encontrar todas as forças vivas de nossa Arquidiocese: nosso reverendo clero, representantes de todas as paróquias e capelas, os religiosos e as religiosas, os consagrados, os seminaristas, os jovens, gloriosa esperança da Igreja, as pastorais, serviços, irmandades e associações, enfim, todo o povo santo de Deus para agradecermos as muitas graças que a Santíssima Trindade nos concedeu nesse ano, particularmente pela JMJRio 2013, que tantos benefícios se faz sentir na ação evangelizadora desta grande cidade.

Nosso Senhor Jesus Cristo chama todos os seus discípulos à unidade.  Unidos na esteira dos mártires, os cristãos devem professar juntos a mesma verdade sobre a Cruz. A Cruz! A corrente anticristã propõe dissipar o seu valor, esvaziá-la do seu significado, negando que o homem possa encontrar nela as raízes da sua nova vida e alegando que a Cruz não consegue nutrir perspectivas nem esperanças: o homem — dizem — é um ser meramente terreno, que deve viver como se Deus não existisse.

A Igreja, como mãe e mestra, deve estar empenhada em libertar-se de todo o apoio puramente humano, para viver profundamente a lei evangélica das Bem-aventuranças. Isso é tão significativo que o próprio Papa Francisco fixou as Bem-aventuranças como tema dos três próximos anos para as Jornadas da Juventude, colocando em relevo a misericórdia, o perdão e a acolhida de todos com a mesma caridade com que Cristo acolhe seus discípulos. Ciente de que a verdade não se impõe senão pela sua própria força, que penetra nos espíritos de modo ao mesmo tempo suave e forte, nada procura para si própria senão a liberdade de anunciar o Evangelho. De fato, a autoridade da Igreja exerce-se no serviço da verdade e da caridade.

O anúncio messiânico – "completou-se o tempo e o Reino de Deus está perto" – e o consequente apelo – "convertei-vos e crede no Evangelho" (Mc 1, 15) –, com os quais Jesus inaugura a sua missão, indicam o elemento essencial que deve caracterizar e ser o centro propulsor da nossa unidade arquidiocesana: a exigência fundamental da evangelização em cada etapa do caminho salvífico da Igreja. O Concílio Vaticano II apela tanto à conversão pessoal como à conversão comunitária. O anseio de cada Comunidade cristã pela unidade cresce ao ritmo da sua fidelidade ao Evangelho. Ao referir-se às pessoas que vivem a sua vocação cristã, o Concílio fala de conversão interior, de renovação da mente e da ação pastoral. Assim, cada um tem que se converter mais radicalmente ao Evangelho e, sem nunca perder de vista o desígnio de Deus, deve retificar o seu olhar para fazer a vontade Dele em renovado ardor missionário, levando a boa-nova de Cristo nas redes de comunidade, indo ao encontro dos que estão afastados.

O Papa Francisco, na sua Encíclica Lumen Fidei, no número 47, ensina que: "A unidade da Igreja, no tempo e no espaço, está ligada com a unidade da fé: 'Há um só Corpo e um só Espírito, (...) uma só fé' (Ef 4, 4-5). Hoje poderá parecer realizável a união dos homens com base num compromisso comum, na amizade, na partilha da mesma sorte com uma meta comum, mas sentimos muita dificuldade em conceber uma unidade na mesma verdade. Parece-nos que uma união do gênero se oporia à liberdade do pensamento e à autonomia do sujeito. Pelo contrário, a experiência do amor diz-nos que é possível termos uma visão comum precisamente no amor: neste, aprendemos a ver a realidade com os olhos do outro e isto, longe de nos empobrecer, enriquece o nosso olhar. O amor verdadeiro, à medida do amor divino, exige a verdade e, no olhar comum da verdade que é Jesus Cristo, torna-se firme e profundo. Esta é também a alegria da fé: a unidade de visão num só corpo e num só espírito. Neste sentido, São Leão Magno podia afirmar: 'Se a fé não é una, não é fé".

O Papa pergunta qual é o segredo desta unidade? "A fé é una, em primeiro lugar, pela unidade de Deus conhecido e confessado. Todos os artigos de fé se referem a Ele, são caminhos para conhecer o seu ser e o seu agir; por isso, possuem uma unidade superior a tudo quanto possamos construir com o nosso pensamento; possuem a unidade que nos enriquece porque se comunica a nós e nos torna um".

A imensa promessa e as energias vibrantes de uma nova geração de católicos estão esperando para ser aproveitadas para a renovação da vida da Igreja e do legado da JMJ de fazer da nossa Arquidiocese uma Igreja unida, em permanente estado de missão. Estejamos, particularmente, próximos dos homens e mulheres, dos jovens e dos que estão na melhor idade, da infância e das crianças, e também dos que estão empenhados em seguir Cristo sempre com maior perfeição na generosidade, abraçando os conselhos evangélicos. Com o enfraquecimento progressivo dos valores tradicionais cristãos e a ameaça de um período no qual nossa fidelidade ao Evangelho pode nos custar muito caro, a verdade de Cristo não apenas precisa ser compreendida, articulada e defendida, mas proposta com alegria e confiança, como a chave para a realização humana autêntica e para o bem-estar da sociedade como um todo, recordando que Cristo nos chama a viver a unidade que só Ele pode nos dar. Nossa Igreja deve ser uma Igreja em permanente estado de missão. Que a unidade que esperamos seja perpassada pelo nosso compromisso pela fidelidade a Cristo, ao seu Evangelho, em sintonia com a Santa Igreja, sendo santo na sua vida cotidiana e eclesial. Viver a santidade não é um privilégio de poucos. Pelo batismo todos nós recebemos a herança de nos tornarmos Santos. Ser santo é uma vocação para todos os fiéis, e é a vocação natural da própria Igreja Particular do Rio de Janeiro. Todos nós somos chamados a percorrer o caminho da santidade, e o caminho que leva à santidade e à unidade tem um nome e um rosto: Jesus Cristo. No Evangelho, Ele nos mostra a estrada das Bem-Aventuranças.

Por isso, no dia de nossa Unidade Arquidiocesana rezemos ao Cristo Redentor para que possamos acolher e anunciar o Reino dos Céus. E isso somente será possível para aqueles que não depositam sua confiança nas coisas humanas, no ajuntamento do ser, do ter e do poder, mas no amor de Deus. Unidos em Cristo, buscando viver com o testemunho dos Santos, sejamos encorajados a não ter medo de caminhar contra a corrente ou ser mal-entendidos e ridicularizados quando falamos de Cristo e do Evangelho, que evangelizamos para superar as diferenças, e, na diversidade de carismas e como Igreja, possamos testemunhar Cristo "ut omnes unum sint".

† Orani João Tempesta, O. Cist.
Arcebispo Metropolitano de São Sebastião do Rio de Janeiro, RJ

Semana de Cristo Rei 2013: Adorar e Fazer Adorar!




O Centro de Evangelização Sant´Ana – Missão Coração Adorador e a Igreja de Sant’Ana realizam de 18 a 24 de novembro, a Semana de Cristo Rei, com o tema: Adorar e Fazer Adorar. O evento será uma grande festa de evangelização, testemunho, oração e partilha no coração da adoração eucarística da Arquidiocese, o Santuário Nacional de Adoração Perpétua, na Igreja de Sant´Ana. Além disso, em unidade com a Igreja, será celebrado o encerramento do Ano da Fé, no dia 23/11, na Catedral de São Sebastião do Rio de Janeiro. A proposta da Semana e da Festa de Cristo Rei é exaltar o final do calendário litúrgico na expectativa do Advento do Natal, através de missas diárias, antecedidas da oração do terço, de louvores e adoração. Márcio Pacheco, um dos fundadores da Missão Coração Adorador, confirma o propósito da Semana: "Desde 2011 temos promovido esta Semana, que conta com missas solenes, momentos de oração e louvor, atendimento para confissões, música e muita alegria para celebrar o final do ano litúrgico e proclamar a realeza de nosso Senhor Jesus Cristo. Neste ano que a Arquidiocese do Rio celebra o encerramento do ano da fé, teremos uma semana intensa com padres vindos de várias cidades do Brasil, com a  certeza de que viveremos dias plenos de bençãos de Deus", declarou. A Semana de Cristo Rei começa nesta Segunda-Feira (18/11), às 17h30 com a oração do terço, além de louvor com o ministério Coração Adorador e Convidados, seguido da Santa Missa celebrada por Frei PauloDiretor do Hospital São Francisco de Assis, às 19h30. A Semana de Cristo Rei contará ainda com as presenças de Padre André Rodrigues (Paróquia São José/Lagoa, Padre Eduardo Dougherty (fundador da Tv Século 21), Padre Gleuson Gomes (Paróquia São Joaquim/Estácio),Padre José Laudares (Paróquia de Sant´Ana), e Padre Reginaldo Manzotti (Evangelizar é Preciso), Ricardo Sá (Canção Nova). 

SERVIÇO:
Semana de Cristo Rei - Adorar e Fazer Adorar
Dias: 18 a 24 de Novembro de 2013
Horário: 17h30 - Oração do Terço // 19h30 - Missa Solene
Local: Igreja de Sant´Ana - Praça Cardeal Leme, 11 - Centro/RJ

A cobertura completa da Semana de Cristo Rei poderá ser acompanhada através do facebook oficial da SCR2013: https://www.facebook.com/diasdeadorar

RETIRO DA GUARDA DE HONRA

Neste último domingo, 17 de Novembro, as Adoradoras da Guarda de Honra do Santíssimo Sacramento se reuniram em retiro no Santuário de Adoração Perpétua - Igreja de Sant'Ana. Sob a condução do Padre Egidio Doldi, o movimento iniciou-se as 8 horas, finalizando com a entrega de fitas para 58 novas adoradoras que já estão compromissadas ha seis meses. Durante a Hora Santa, o sacerdote conclamou para a fidelidade à Adoração aio Santíssimo Sacramento exposto neste altar, dia e noite, desde 1926






video

sábado, 16 de novembro de 2013

MISSÃO ADORAÇÃO EUCARÍSTICA

Meu aniversário no Santuário da Penha. concentração Arquidiocessana da Legião de Maria . Via sacra,o Rosário e santa missa presidida por nosso diretor espiritual D. Edson de Castro Homem, acompanhada de minha afilhada Janete e todos os meus irmãos legionários. Depois fui adorar Jesus Sacramentado no Santuário da adoração perpétua em Sant'Ana na companhia de Célia e Adina e comemorar com minha grande amiga D.Alexandrina que também fez aniversário neste mesmo dia,. Obrigada meu Deus por tanta benção ,Amém!
Dom Edson e Sonia Maria

Adoradoras da Guarda de Honra do Santíssimo Sacramento


Aniversariantes em comemoração

Santuário da Penha


Texto e Fotos: Sônia Maria dos Santos

segunda-feira, 11 de novembro de 2013

Retiro Anual da Pastoral da Comunicação - Pascom Rio

O Santuário de Santa Edwiges acolheu o II Retiro Arquidiocesano da Pastoral da Comunicação (Pascom), no último sábado, 9 de novembro. Tendo como tema "É Cristo que comunica", o encontro contou com a participação de cerca de 100 agentes da Pascom-Rio de todos os vicariatos territoriais."
 

Após uma caminhada, que teve início na Quinta da Boa Vista com destino ao Santuário, os participantes receberam as boas vindas do coordenador arquidiocesano da Pascom-Rio, Padre Marcio Queiroz. Em seguida, o professor da Puc-Rio, Miguel Pereira fez um momento de reflexão sobre a Pastoral e a professora Alessandra Cruz, também da Puc-Rio, falou sobre Redes e Interação.

Na parte da tarde aconteceu uma bela adoração ao Santíssimo Sacramento. Conduzido pelo Reitor da Santuário, Padre Divino Pereira, o momento de adoração emocionou aos agentes da Pascom que puderam ficar bem próximos e tocar o Santíssimo Sacramento.

Padre Marcio Queiroz dando boas vindas as agentes. Foto de Leonardo Santos.
Professor Miguel Pereira. Foto de Leonardo Santos.
Professora Alessandra Cruz. Foto de Leonardo Santos.

Adoração ao Santíssimo Sacramento. Foto de Leonardo Santos.

Adoração ao Santíssimo Sacramento. Foto de Victor Gonzalez.

Padre Divino, reitor do Santuário. Foto de Victor Gonzalez.
Momento de reflexão conduzido pelo Padre Divino. Foto de Victor Gonzalez.

Adoração ao Santíssimo Sacramento. Foto de Victor Gonzalez.


Adoração ao Santíssimo Sacramento. Foto de Leonardo Santos.

CELEBRAÇÃO PELO ANIVERSÁRIO PADRE MARCELO SSS


domingo, 3 de novembro de 2013

SACRAMENTINOS CELEBRAM EM SANT'ANA

Na manhã deste domingo, 3 de novembro, o Santuário da Adoração Perpétua recebeu os padres, leigos e religiosos sacramentinos que estão em assembléia até a próxima quinta-feira. A província de Guadalupe, conta com os países da Argentina, Chile e Bolívia, além do Brasil. A Celebração foi presidida pelo superior Geral da Congregação Padre Eugênio, e concelebrado pelo Provincial do Brasil Padre Junior, contando com a presença do Bispo auxiliar da arquidiocese do Rio de Janeiro, Dom Edson de Castro Homem, além dos mais de 20 padres sacramentinos presente.
Após a celebração Eucarística, todos presenciaram um momento de confraternização com o almoço preparado por membros da Aliança de Casais, da paróquia.






HOMILIA PADRE EUGÊNIO






  




















Fotos: Zelia Arzamendia e Gabriela Arzamendia